domingo, fevereiro 5

Medo ou Respeito


O direito à indignação é universal. O povo do Islão tem todo o direito de se manifestar em defesa dos seus valores. Pode até um “Estado Islâmico” decretar boicote económico à Dinamarca ou a outro país qualquer. Agora não nos podem intimidar ou ameaçar. Os nossos valores e a nossa integridade física não têm que ser ameaçados porque alguns manifestaram pacificamente a sua “opinião”.
Os valores sagrados e religiosos são para respeitar. Não contestamos. Mas não podemos confundir uma manifestação de descontentamento, ou abaixo-assinados, com verdadeiras manifestações de ódio e violência como aquelas a que temos assistido (como defende Daniel Oliveira, do “Bloco”).
Mas respeito não se pode confundir com medo. O Ocidente em que acreditamos pretende ser um espaço de tolerância, liberdade, responsabilidade e respeito, mas não de medo. Neste espaço alguns não pensam como nós e manifestam-no. A lei encarrega-se de limitar as fronteiras da decência dessa manifestação. Mas no conflito da diferença, ninguém merece morrer. Essa fronteira não pode ser ultrapassada. E o Ocidente não pode deixar que o medo nos faça perder o respeito…por aquilo que mais prezamos; a nossa civilização e o nosso modo de vida.

5 comentários:

azurara disse...

Li e gostei.
Está hoje na moda considerar que a liberdade e a tolerância são valores que nós, ocidentais, devemos cultivar, mesmo perante aqueles que apenas dão prova do contrário - da intolerância.

Daniel Oliveir disse...

Quando eu disse (ou melhor, quando gravei isso), não havia ainda manifestações violentas. E deixei claro que só o porotesto pacífico era aceitável.

lazuli disse...

Certo o que dizes. Mas é um problema difícil de resolver a xenofobia, a intolerância.

Paulo Pisco disse...

Agradeço ao azurara.
Lazuli a xenofobia e a intolerância existirão sempre. Tem de ser sempre combatida. Sem receios ou ambiguidades.

Em relação ao Daniel Oliveira agradeço o esclarecimento. Mas parece-me, apesar dele, que as dúvidas e criticas que tem em relação ao nosso modo de ser "ocidental" o estão a deixar com dois pesos e duas medidas. E sempre a "nosso" desfavor. Não lhe parece?
Se existe um traço na nossa história recente é a chacota com o cristianismo. Veja lá que ela foi tão longe que até lhe chamaram "ópio do povo" e em certos países, mais a leste, foi mesmo proibida. Recorda-se?...

Anónimo disse...

Já notaram que a porta tem um formato fálico?