sexta-feira, setembro 29

Auto censura

Já tinha começado mas ainda não tinha sido declarada oficialmente. Hoje na Alemanha uma ópera foi suspensa em Berlim por se “suspeitar” poder ofender a comunidade muçulmana e por isso poder por em perigo os espectadores e os actores.

Mais curioso foi o líder da comunidade islâmica na Alemanha considerar errada a decisão tomada pela directora do teatro. Curioso mundo este onde estamos a viver.

O medo nunca foi bom conselheiro…

2 comentários:

Anónimo disse...

Inacreditável!
Claro que cada vez me convenço mais, que não é esta a Europa que desejo, nem na qual quero estar, desta maneira, entre outras que não vêm agora ao assunto!
Salman Rusdhie que o diga e agora por último, Robert Redeker, professor francês que escreveu um artigo no "Le Figaro" criticando o Islão e que está debaixo de ameaças de morte. Entre muitos outros que por esse mundo fora têm tido a mesnma sorte. Pior sorte teve Theo Van Gogh, esfaqueado em plena rua, só por ter realidado um filme que falava da condição das mulheres no Islão.
Mas é também preocupante...muito preocupante... a maior das indignações, esta reverencia quase estúpida, de certos sectores de opinião aqui no ocidente, que se agacham em auto-censuras patéticas, somente por complexos ideológicos.
Tal como alguém já disse, o verdadeiro intuito dos terroristas, não é só matar pessoas inocentes. Passa essencialmente por condicionar atitudes da nossa própria identidade.

Cumprimentos

Rui Silva

Paulo Pisco disse...

Caro Rui.

Concordo inteiramente. Mudar-nos na nossa identidade é o objectivo. Começamos com relativismos e "complexos" e acabamos cheios de medo.
Não essa não pode ser a solução. Defender o que acreditamos é o que nos resta. Sem complexos.