segunda-feira, março 5

Pianíssimo




O maestro Vitorino de Almeida volta ao grande ecrã com “Pianíssimo”. Apesar de continuar a ser um “banho” de cultura musical ouvi-lo e de ter um conjunto de cenários espantosos – no programa de hoje Vianenses - volta a repetir alguns dos “tiques” da sua ultima aparição televisiva.

Continua com a necessidade de trazer um “grilo falante” atrás de si. Antes foi Barbara Guimarães, lembram-se, agora Vera Morais. Sempre manifestando o seu bom gosto, mas tornando o papel destas, um pouco “infantil”, no mínimo. E desta vez pretende “distrair” a populaça com dois novos ingredientes: entre os seus profundos monólogos, entra um casal, um pouco “absurdo” – uma velhota e Carlos Mendes – estabelecendo um dialogo “non sense” em torno do tema. E uma (mais uma vez bela...) pianista austríaca que interpreta os temas. Que, apesar de tudo, nos parece o mais conseguido.

No entanto, o senhor continua a ser um grande comunicador. Mas ele basta. Não são necessário artifícios. A ver.


"Sinopse: Uma série escrita, apresentada, interpretada e realizada pelo próprio maestro António Victorino de Almeida que conta a história do piano através dos tempos.Cada episódio inclui duetos musicais. Ao piano, o maestro "dialoga" com a flautista Vera Morais. Conta ainda com a prestação de uma das mais prestigiadas pianistas do mundo, a austríaca Ingeborg Baldaszti e o músico Carlos Mendes"

3 comentários:

Anónimo disse...

EStou a gostar imenso do programa. Sou professora de história da música e só tenho pena que os meus alunos não possam ver o programa devido à hora tardia a que é transmitido.

Paulo Pisco disse...

Divulgação, inteligência e cultura parecem não se coadunar com horário nobre. Mas é o que temos...

MANUEL disse...

Lamento profundamente que o Pianíssimo do passado dia 15 do corrente mês de Abril tenha ido para o ar quando já passava 15 minutos da meia-noirte do dia 16 e tenha terminado, ao que julgo, muito perto das 2 horas da madrugada. Programa intelegentíssimo e realizado por um Senhor que sabe o que está a dizer e que a todos nos cativa pela forma como o faz.
As nossas crianças e os nossos jovens e todos os adultos portugueses muito ganhariam se pudessem, no horário nobre, ter acesso a um programa com aquela altísssima qualidade.
Será bem melhor para a Direcção de Programas da RTP-canal 1 - pago com o dinheiro de todos os portugueses, não nos esqueçamos - deixar dormir os portuguesas ou servir-lhe doses maciças de futebol ou escândalos do apito dourado.
Já admiti, num outro escrito, sobre este caso, que o Director de Progmas se deveria demitir ou ser demitido.
Os portugueses têm de se habituar a consumir cultura e o nosso António Vitorino de Almeida tem as qualidades necessaárias para os despertar e os conduzir por esses caminhos.
Mandar este Programa para o ar, depois da meia-noite é abusar da nossa paciência e mal gerir os dinheiros públicos.
Lamento, por vezes, ter nascido nesta terra.Tão só.
Depois, não nos queixenms de estarmos na cauda da Europa.

Manuel Mesquita